Minggu, 18 Mei 2008

Learning Tattoo - Capítulo 6, Monitoração dos Ciclos de Esterilização

Introdução

Muitos estudos indicam que os equipamentos de esterilização usados frequentemente, apresentam falhas neste processo. A detecção destas falhas é feita pelo monitoramento do ciclo de esterilização. Por meio deste procedimento é possível assegurar a eficácia dos processos de esterilização utilizados (estufas ou autoclaves), e se cada artigo está realmente estéril, antes de liberar o uso. O monitoramento do ciclo de esterilização é indicado pela Secretria o Estado da Saúde, pela já famosa Resolução SS-15 de 19/01/99, devendo ser realizado em vários níveis, por indicadores físicos, químicos e biológicos.

Por quê monitorar o ciclo se eu vejo que meu aparelho está funcionando bem? Se a autoclave é o método mais eficiente de esterilização e está funcioando, por quê gastar ainda com a monitoração? Você perceberá a importância da monitoração dos ciclos de esterilização ao ler o artigo abaixo.


1 - Indicadores Físicos

Significa monitorar a parte física do equipamento (estufa por calor seco ou autoclave), no tocante ao manômetro, manovacuômetros, lâmpadas piloto, termostatos, led's, bips, painéis, etc. Suas indicações devem ser acompanhadas a cada 3 minutos durante as estapas do ciclo e registradas preferencialmente por meio de um gráfico. Em equipamentos modernos podem ser microprocessados eletrônicamente. Todo equipamento deve passar periodicamente por uma manutenção preventiva (antes de surgir o defeito) e corretiva, quando apresentar o defeito.

2 - Indicadores Químicos

São produtos de natureza química aplicados, normalmente a tiras de papel que asteram a coloração, quando são submetidos às condições de esterilização. Podem ser colocados nas câmaras ou embalagens.

3 - Indicadores Químicos Externos (de passagem)

Devem estar presentes em todas as embalagens de artigos estéreis. São usados no lado externo do pacote para evidenciar a passagem do material pelo esterilizador. Eles facilitam a identificação dos pacotes que já passaram pelo preocesso de esterilização, evitando que pacotes não processados sejam utilizados. Importante: estes indicadores são encontrados na forma de fitas zebradas utilizadas para lacrar os pacotes ou impressos com tintas indicativas, sendo sensíveis a pequenas alterações de temperatura, portanto não podem ser utilizados como indicadores de esterilidade.

4 - Indicadores Químicos Internos

Eles monitoram individualmente cada pacote, indicando, que as condições corretas de esterilização foram atingidas durante o ciclo. São fitas que devem ser posicioandas no interior de cada pacote. Os indicadores químicos internos permitem que o usuário saiba se houve uma falha na esterilização, que possa ter causado comprometimento da transferência do agente esterilizante da câmara para o interior do pacote. A vantagem de utilizá-los no controle dos pacotes é que les permitem que o usuário separe e recuse aqueles que não foram expostos às condições necessárias à esterilização.

5 - Indicadores Químicos Multiparamétricos

Devem responder a pelo menos dois dos parâmetros críticos (tempo e temperatura) do controle da esterilização, mediante a mudança de coloração. Podem monitorar esterilização em estufas, autoclaves e óxido de etileno. Geralmente são colocados em uma região de difícil acesso do agente esterilizante, que geralemtne é o centro geométrico do pacote e indicam se o vapor penetrou até aquele ponto. Pacotes maiores podem ser monitorados, posicionando-se dois indicadores em cantos diagonalmentes opostos. Após o processamento, a tinta impressa na tira do papel estará mais escura.

6 - Integradores Químicos

Classificados como o mais alto nível de indicadores químicos e destinam-se a responder todos os parâmetros da esterilização, pois se utilizam de processo químicos e físicos para controlar a performace. A diferença básica entre um integrador químico e um indicador químico multiparamétrico está no intervalo de precisão da monitorização para controle dos pacotes que, no caso do integrador, é menor e mais exato do que o intervalo de precisão alcançado pelo multiparamétrico. Além de um desempenho preciso, uma vantagem adicional dos integradores do tipo "auto-explicativo é a leitura que dispensa interpretação dos resultado. O integrador desenvolve uma coloração escura que se move para frente, percorrendo todo o caminho até a janela 'ACCEPT' ou estacionando na janela 'REJEVT". Os integradores para uso em autoclaves a vapor integram as três variáveis críticas de esterilização, que são temperatura, tempo e presença de calor saturado. Existem ai9nda os integradores químicos para os cilcos de óxido de etileno e equipamentos com bomba de vácuo;

7 - Indicadores Biológicos

Estes indicadores encontrados na forma de tiras ou ampolas, são constituídos de uma suspensão de esporos bacterianos termorresistentes, do gênero Bacillus, que são bactérias termofílicas formadoras de esporos, capazes de sobreviver em temperaturas, nas quais as proteínas são rapidamente desnaturadas. Os sistemas que contêm esporos do Bacilus stearothermophilus são usados para ciclos de esterilização a vapor; B. subtilis para ciclos de esterilização a calor seco e B. subtilis var. niger para óxiso de etileno. Os indicadores, após passarem pelo ciclo de esterilização, devem ser incubados, revelando posteriormente se os esporos foram ou não destruídos. Quando os esporos são destruídos, por representarem os microorganismos mais difíceis de serem destruídos, pode-se deduzir que todas as outras formas de vida microscópica foram mortas. Dentre os três tipos de monitoração, o monitoramento biológico é o que mais comprova a esterilização, proporcioando um controle mais rigoroso do processo, pois são os únicos indicadores capazes de certificar a morte efetiva dos microorganismos.

Obs.: Contamos sempre com a sua contribuição para que estas lições fiquem cada vez mais completas. À todas as informações cedidas, serão atribuídas os devidos créditos.

Para receber gratuitamente as lições em seu e-mail, assine nosso feed.

Índice

Tidak ada komentar:

Poskan Komentar